6 de mar de 2010

Estratégias de Abordagem

  • Com as mulheres

    • Entraremos em contato com mulheres militares que já são conhecidas dos integrantes do grupo. Elas serão nosso principal objeto, devido à possibilidade maior de abertura por já serem conhecidas. Além disto, procuraremos outras mulheres que também são militares e que gostariam de participar de nossa proposta. Podemos verificar se outras pessoas que conhecemos têm indicações de mulheres que trabalham na carreira e também procurarmos indicações através das assessorias de imprensa destes setores em Belo Horizonte. A abordagem será sutil e o mais clara possível para que as mulheres entendam exatamente o que pretendemos fazer e nos informem sobre o quanto querem e podem colaborar. Mesmo que algumas destas mulheres não estejam dispostas a nos deixarem filmar o seu cotidiano, a conversa com elas será material extremamente útil para o direcionamento do documentário e o esclarecimento de algumas das dúvidas e curiosidades que nos moveram a este processo de conhecimento.

  • Sobre as identidades destas mulheres

    • Após encontrarmos a abertura necessária para iniciar o trabalho com algumas militares, vamos verificar também o quanto elas estão dispostas a compartilhar conosco informações que compõem e caracterizam sua identidade, bem como suas particularidades psicológicas e atividades cotidianas. Neste momento haverá um aprofundamento sobre o que elas permitirem que mostremos de suas vidas. Devemos ser ainda mais sutis e respeitosos, pois se trata da esfera privada destas pessoas. Portanto, estaremos preparados com perguntas e propostas de filmagem claras e específicas que deverão ser adequadas à realidade e disponibilidade de cada uma das mulheres que participarem do projeto. Estaremos abertos à algumas sugestões e anseios sobre algo que elas queiram revelar que possivelmente não havíamos pensado anteriormente.

  • A casa delas

    • Ainda na esfera privada, deixaremos clara a intenção de conhecermos suas casas, como forma de extrapolar a caracterização do uniforme e do trabalho. Neste momento, é possível que encontremos outras pessoas que convivem com elas, com as quais nós não tivemos contato e não sabemos a disponibilidade para aparecer no documentário e revelarem coisas das relações com aquelas mulheres que fazem parte da vida destas outras pessoas. É muito provável que acabemos tendo contato com as famílias das militares neste momento, o que também devemos questionar a elas sobre a permissão delas e destas pessoas para que participem do projeto. Devemos estar preparados para as rejeições, dificuldades e impossibilidades, negociando os limites do que e do quanto será mostrado dessa vida mais particular, de modo a respeitar a privacidade e garantir que a segurança delas não seja afetada com a exposição que daremos a elas através da filmagem.

  • O ambiente de trabalho

    • Imaginamos que este seja o local mais delicado de trabalharmos, vistas as regras e limitações que as próprias organizações militares devem ter quanto à exposição de sua estrutura e funcionários. Para que possamos estabelecer os limites reais de possibilidade de trabalho com o projeto, dentro destes locais, entraremos em contato com a assessoria de imprensa dos mesmos, de forma a receber orientações e direcionamentos. Neste contato, talvez descubramos outras personagens para a nossa proposta, e iremos verificar também a sua disponibilidade para colaborar individualmente e não apenas nas indicações sobre a organização. Por se tratar de ambiente com limitações possivelmente maiores, deveremos exercitar a nossa negociação com diplomacia, sempre respeitando as condições exigidas para o nosso trabalho, mas procurando também esclarecer os pontos que talvez tenham ficados obscuros na nossa proposta, de forma a tentar conseguir uma maior abertura e abrangência para recolhermos nosso material audiovisual.

  • O trabalho nas ruas e a população em geral 

    • Nas ruas, espaço público, as limitações são menores, mas a abertura das pessoas talvez não seja tão fácil, devido ao seu maior número. Devemos tomar cuidado com a atenção excessiva sobre os equipamentos e a equipe de gravação, de modo a interferir o mínimo possível no trabalho de nossas personagens. Além disto, devemos ser cuidadosos ao abordar os pedestres e passantes, esclarecendo o suficiente para que saibam do que se trata a proposta e decidam ou não colaborar. São pessoas importantes para a construção da imagem (in)comum das mulheres militares, mas devemos lembrar a todo o momento que o nosso foco de trabalho e nossa maior preocupação deve ser com elas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário