6 de mar de 2010

Eleição e Descrição dos Objetos

  • Mulheres militares
    • As mulheres que vestem farda serão nosso “objeto” principal. Independente da especificidade de cada carreira que estas mulheres sigam (Polícia, Bombeiros, Aeronáutica, Marinha, etc.), todas têm em comum a profissão militar e os preconceitos e particularidades que esta profissão acarreta.

  • Identidade
    • Como se dá a relação com o medo, a coragem e os reflexos psicológicos da profissão? Eles também refletem nas outras relações que não sejam profissionais?
    • Como elas se caracterizam quando estão sem farda? Elas se divertem? Têm vícios? Como lidam se e quando infringem alguma lei (como fumar em local proibido, ou levar uma multa, por exemplo)?
    • Como elas justificam a escolha por esta profissão? Elas estão satisfeitas e se sentem realizadas? As expectativas antes de começarem a atuar na carreira militar se comprovaram? Quais eram estas expectativas?
  • A casa destas mulheres

    • · Para sermos capazes de aprofundar no cotidiano das mulheres de farda, é preciso que tenhamos acesso às suas moradias; local onde a individualidade se revela mais facilmente, até mesmo por causa da ausência da responsabilidade que a farda carrega. Elas são capazes de “deixar o trabalho de lado” e agir com menos rigidez e autoridade, características predominantes na profissão?
  • O ambiente de trabalho

    • · É necessário também investigarmos o ambiente profissional destas mulheres, já que este é o lugar onde elas estão uniformizadas e em atuação profissional. Neste ambiente, como são as relações de poder e hierarquia? Existem preconceitos e discriminação com elas?
    • As ruas são outro lugar em que estas mulheres trabalham e estão mais expostas aos riscos da profissão. O nosso acesso a mulheres militares neste local, provavelmente, será mais fácil do que acreditamos ser nos quartéis? Em relação às suas posturas e restrições éticas, haverá mais disponibilidade para que elas nos revelem seu cotidiano?
  • A população em geral
    • No ambiente público, um objeto interessante para abordarmos é a população. Como reagem as pessoas ao serem abordadas por militares femininas? Há respeito? As pessoas são mais amigáveis ao tratarem com mulheres? E a abordagem delas, difere em algo das dos homens?

Nenhum comentário:

Postar um comentário